segunda-feira, 15 de outubro de 2018

O QUE EU PENSO.....


Boa noite!
Hoje é quinta-feira e assim sendo mais uma escrita que se tornou um hábito saudável digo eu.
Tenho sido bastante critico relativamente ao estado da nossa Freguesia e como sou uma pessoa do povo, falo e ouço todos os que querem falar comigo, ao contrário de outros e foi-me dito que eu não tenho razão, que quem tem de fazer a limpeza e manutenção é a Câmara e que mesmo assim já fizeram mais em quase um ano que os anteriores nos últimos anos.
Claro que discordei e prometi mostrar a lei, e aqui está!
As Juntas de Freguesia, entre outras obrigações e segundo o Artigo 131º. da Lei nº. 75/2013, consagrado às suas novas competências, por delegação das Câmaras Municipais, devem, e citamos, «gerir e assegurar a manutenção de espaços verdes e assegurar a limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros». Também e entre outras obrigações, «assegurar a realização de pequenas reparações nos estabelecimentos de educação pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico e promover a manutenção dos espaços envolventes dos estabelecimentos». Por delegação das Câmaras, bem entendido. São as vulgarmente chamadas delegações de competências, que o referido Artigo 131º. define para «as freguesias em todos os domínios dos interesses próprios das populações destas, em especial no âmbito dos serviços e das actividades de proximidade e do apoio directo às comunidades locais.
Relativamente a limpezas na nossa Freguesia as coisas já estiveram muito piores que agora, começa-se a ver alguma coisa, no domingo de manhã cedinho, estive em Fermentões no famoso largo do Carvalho e o que encontrei foi um cenário degradante, estado de total abandono muita erva e até as silvas numa parte do recinto estavam em pleno crescimento, no entanto fui informado que o recinto foi limpo, na ultima Assembleia de Freguesia a oposição questionou o executivo relativamente ao Parque de Sº Pedro em Valongo e foram informados que existe vontade de dignificar aquele local, no entanto na semana passada desloquei-me para um funeral e pelo menos a limpeza estava por fazer.
Também é público que tem andado por cá pessoal da Câmara Municipal o que deixa a antever alguns trabalhos.
No entanto continuo preocupado com algumas obras em curso como é o alargamento da estrada desde o Centro Paroquial ou seja a Creche até á rotunda pois parecem as obras da chamada «Santa Engrácia», pois o seu ritmo é muito lento, não consigo compreender esta lentidão e alerto que aproxima-se a época das chuvas e esta estrada é fundamental para o normal funcionamento da nossa Freguesia, fui informado que quem paga a obra é a Câmara, mas a responsabilidade da obra é da Junta.
Deveria haver por parte do poder e peço desculpa se estou enganado, uma maior força para resolver estas situações pois não sendo resolvidas quem fica a perder é a população que tem que utilizar diariamente estas vias de comunicação na sua vida quotidiária.
Se isto não acontecer quem saí prejudicado e quem perde é o povo, a que os políticos pouco ligam, só em alturas eleitorais.
E mais não digo……




terça-feira, 9 de outubro de 2018

O QUE EU PENSO.....


Boa noite!
Mais uma quinta á noite e o hábito da escrita que se tornou saudável, digo eu!
Hoje vou na minha humilde opinião fazer uma análise de um ano de governação do nosso poder local.
Foi duro, deu muito trabalho, mas a mudança aconteceu, por muito pouco não se conseguiu maioria absoluta, e eu andei lá, fiz parte dessa onda de mudança.
Depois da tomada de posse era preciso conhecer os cantos á casa e pouco a pouco tentar arrumá-la.
Penso e tenho a noção que não tem sido tarefa fácil, pois segundo foi sendo tornado publico as coisas encontradas não eram fáceis de por em ordem.
Claro que era previsível que isso acontece-se pois foram muitos anos de governação de um partido só.
Uma equipa nova, novas ideias, novas mentalidades uma nova visão do que querem para a Freguesia, mas com um objectivo comum, fazer de Valongo do Vouga uma Vila mais e melhor atractiva e com condições fixação de nova população, e agora penso eu que devem ter a casa minimamente arrumada para começarem a mostrar obra.
Constato todos os dias que não vai ser fácil, pois é uma Freguesia muito grande e a população quer muitas situações resolvidas e com pouca mão-de-obra pois segundo me parece o quadro de pessoal foi reduzido não conseguem estar em todo lado.
Mas também tenho que dar a mão á palmatória, tem de haver por parte da Câmara Municipal mais trabalho na nossa terra pois assim começa a tornar-se difícil e se no passado havia um problema de incompatibilidades de opinião e política, agora não e Valongo do Vouga continua esquecido.
Foram 365 dias perdidos, na minha opinião não, ainda estão a tempo de cumprir tudo o que se propuseram, mas não podem perder mais tempo, penso que chegou a hora de mostrar a nós críticos que estamos errados e que valeu a pena a mudança.
Como eu costumo dizer «Sem medo rumo ao futuro» por um Valongo do Vouga, prospero, prático e atractivo.
E mais não digo…..

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

O QUE EU PENSO....


Boa noite!
Quinta-feira, a já aguardada escrita que se tornou um hábito saudável, digo eu.
Hoje vou falar sobre um local que deveria ser um cartão-de-visita da nossa Vila, um local que deveria ter uma atenção muito especial do poder político, pois sendo central é sem exagero um dos locais que mais visitado, e no estado em que se encontra é a nossa vergonha.
Já conseguiram descobrir do local, que eu vou falar?
Não, tenham calma eu vou dizer, no entanto lamento que não tenham adivinhado.
Amigos hoje vou falar do jardim de S.Pedro em Valongo.
O jardim de S.Pedro já foi um ponto de referência e de orgulho de todos os Valonguenses, foi construído e estava muito bonito e funcional, era muito agradável ir a Valongo e passar um pouco do nosso tempo com a família ou com as crianças e porque não com a namorada, era uma beleza tinha um pequeno lago com água, sombra uns bancos e um pequeno parque infantil, estavam ali reunidas as condições para passar uns momentos agradáveis, brincar com as crianças, tirar umas fotos e descansar.
Valongo do Vouga é o local da Freguesia que mais visitas recebe, pois tem a igreja e realizam-se os casamentos, baptizados, comunhões, as profissões de fé, o crisma e todos os fins-de-semana e muitas vezes á semana as missas e lamentavelmente também acontecem os funerais.
Em todas estas cerimónias durante o ano, milhares de pessoas vão a Valongo, e muitas delas de todo o país posso até dizer de todo o Mundo, e nestas visitas quando são festivas, todos nós gostamos de ficar com recordações da nossa passagem por estas bandas, claro tiramos fotos, com os amigos com a família, temos uma igreja linda um adro aceitável e saímos para fora e deparamo-nos com esta actual vergonha, tal é o estado de degradação daquele jardim.
O pequeno lago deixou de ter água e trabalhar como os outros, os bancos do parque estão ou partidos ou estragados, o pequeno parque infantil está estragado e duvido que reúna as mínimas condições de segurança para ser utilizado pelas crianças, erva e lixo por todo lado, já para não falar na localização dos contentores de recolha de lixo e no aspecto degradante em que se encontram constantemente, cheios e com muito lixo espalhado pelo chão.
Amigos é esta a imagem que queremos dar a quem nos visita, é isto que queremos que eles levem como recordação da sua passagem por a nossa terra, já não chega o aspecto degradante e de manifesto abandono que encontram quando entram na freguesia tanto pela parte sul como norte das bermas e valetas da nossa chamada vila.
Não me chamem profeta da desgraça, não digam que passo a vida a dizer mal, limito-me a constatar factos, foi para isto que andamos de porta em porta a convencer a população e a apelar ao voto com promessas de mudança?
Responda quem souber!
E mais não digo……

terça-feira, 25 de setembro de 2018

O QUE EU PENSO.....


Boa noite.
Como hoje é quinta-feira vou ter de escrever, tornou-se um hábito saudável, digo eu!
Tenho comentado factos e algumas opiniões não têm agradado e tenho sido apontado na rua como estando sempre a dizer mal ou contra o actual poder.
Hoje pelo contrário vou começar por dizer bem, pois nem tudo tem sido mau.
A nossa Freguesia tem sido alvo de algumas iniciativas que nos têm projectado tanto a nível Nacional como mesmo Internacional e isso é bom, pois leva o bom nome de Valongo do Vouga e das suas gentes mais além.
Na altura do Agitagueda tivemos uma passagem com paragem e confraternização na Junta de Freguesia de uma concentração de carros da marca Porsche, que trouxe umas dezenas de ilustres e alguns desconhecidos que poderão conhecer e degustar algumas iguarias da nossa terra.
No passado fim-de-semana tivemos uma etapa do campeonato do Mundo de Orientação em BTT.
Centenas de pessoas desde atletas equipas técnicas e público em geral teve a oportunidade de ver em acção os melhores atletas mundiais e segundo os relatos Valongo do Vouga reúne excelentes condições para a prática da modalidade, Valongo do Vouga foi projectado a nível Mundial.
Este fim-de-semana vamos ter duas etapas do Rali Santa Joana o que vai trazer a Valongo do Vouga espero eu mais algumas centenas de pessoas, amantes dos desportos de quatro rodas e dos ralis.
Claro que estes eventos obrigam a canalizar energias nestas organizações, mas traz o merecido retorno, pois movimentam o comércio local, pois no mínimo os cafés, bares e restaurantes devem ter muito mais movimento o que é muito bom para a economia local.
Temos na nossa Freguesia todas as condições para sermos uma Freguesia activa, movimentada e dinâmica 365 dias por ano, mas para isso o poder tem de envolver as associações locais, temos cultura, desporto e recreio, o resto é criar as condições, aceitar ideias e apoiá-las.
Como eu gostava de ver no Cabeço Gordo um grande torneio de futebol de veteranos, como eu gostava de ver um grande prémio de atletismo nas Póvoas, uma prova de automobilismo como a rampa da Cadaveira, um grande prémio de BTT, um grande torneio de futsal, um grande torneio de futebol jovem, um grande torneio de andebol, um grande encontro de mini bandas musicais, porque não um grande festival da canção e continuar a ver percorrer os lugares da Freguesia o grande festival de folclore.
O sonho comanda a vida, deixem-me sonhar!
Sem medo rumo ao futuro.
E mais não digo….

terça-feira, 18 de setembro de 2018

O QUE EU PENSO.....


Boa noite.
Hoje não me apetecia escrever, mas vejo-me obrigado a dizer por escrito algumas palavras.
Nascido no mês de Abril, quando se dá a revolução já eu andava na escola e na minha aldeia sofremos na pele a opressão e o silenciamento do poder da altura, eu sou do tempo em que se ouvia o rádio às escondidas, mas tudo mudou e o povo Português ganhou a liberdade.
A partir de 25 de Abril de 1974 o povo Português conquistou o direito de se expressar livremente.
Mas 44 anos depois será que sabemos o que é a Liberdade de Expressão?
Liberdade de expressão é um direito fundamental do homem que garante a manifestação de opiniões, ideias e pensamentos sem retaliação ou censura por parte de governos, órgãos privados ou públicos, ou outros indivíduos.
Recebe o nome de liberdade de expressão a garantia assegurada a qualquer indivíduo de se manifestar, buscar e receber ideias e informações de todos os tipos, com ou sem a intervenção de terceiros, por meio de linguagens oral, escrita, artística ou qualquer outro meio de comunicação.
Mas e á sempre um mas, será que entendemos o significado do que conquistamos?
Alguns de nós, não…. Continuamos com o, eu quero, mando e posso, mas eu também falo por mim, muitas vezes também me custa a admitir que estou errado que não tenho razão.
 Hoje podemos falar, criticar, discordar, manifestar o nosso desagrado em todas as situações.
Quando criticamos também devemos estar preparados para ser criticados, eu sou defensor da crítica construtiva mas, se a crítica for destrutiva devemos saber interpretá-la pois conseguimos apreender com as críticas destrutivas.
Eu se estou á frente do poder municipal ou local tenho que saber ouvir o povo, dar-lhe voz, o povo não pode nem deve ser intimidado ou silenciado.
Pois e agora vocês perguntam: O que é que ele quer dizer com toda esta conversa?
Acontece que todos nós temos o direito de ter a nossa opinião, podemos apoiar e defender uma causa numa determinada altura e com o decorrer do tempo mudarmos de opinião, constatarmos que afinal aquilo que defendemos e pela qual demos a cara não corresponde á triste realidade actual.
Podia ficar calado e continuar como outros a fazer de conta que tudo está bem, mas não, quando não concordo quando acho que fui usado e enganado falo.
Claro que não agrado a todos, mas quem me conhece sabe que eu não sou hipócrita, defendo e luto por aquilo que acredito, e o que eu acredito, é numa Freguesia mais e melhor para todos, uma Freguesia que seja o nosso orgulho, uma Freguesia que crie as condições para atrair e fixar mais habitante que não continue a ser o que é hoje.
Vou continuar a opinar sobre factos reais que todos os dias vou detectando na nossa terra, não me escondo, dou a cara, não mando ninguém falar por mim, não cedo a ameaças nem intimidações.
Sem medo rumo ao futuro.
E mais não digo….